terça-feira, 28 de março de 2017

Irmãzinha, cuide bem do seu coração!

Irmãzinha, cuide bem do seu coração!
Nos meus dias de solteiro, conheci várias moças decepcionadas com os homens, machucadas por relacionamentos fracassados, em particular, duas ex-noivas. Eram jovens com dificuldades de se abrir a novos relacionamentos, cheias de medo de sofrer outra vez. Tinham tudo para dar certo: eram bonitas, legais, inteligentes, tementes a Deus... Entretanto, fugiam do amor.

Por isso eu peço que vocês, irmãzinhas de todas a idades, procurem se preservar desse tipo de experiência. Façam muitas amizades (tanto com rapazes quanto com moças), comam lanches, congreguem, viajem, trabalhem, estudem, riam, busquem os dons, mas não entreguem os seus corações para qualquer "engravatadinho" que aparecer na sua frente. Beleza é importante sim, contudo, não julguem só pelas aparências. Guiem-se por Deus e analisem o "currículo" do candidato. Lembrem-se que dentro da igreja todo mundo parece crente...

Todavia, também não enganem vocês mesmas aos moços. Não façam os rapazes sinceros de bobos, não brinquem com os sentimentos alheios, tampouco usem de zombaria para com aqueles que não são do seu agrado. Se vocês foram ludibriadas, não dêem o troco, não se tornem más por causa da maldade dos outros. Não fiquem "enrolando" ninguém como "segunda", "terceira opção" e assim por diante. Sejam honestas! Iludir um coração é um pecado terrível.

Confiem em Deus que, no tempo certo, a felicidade irá bater na sua porta. Porém, enquanto isso, preservem os seus corações, não se precipitem! Ouçam, no amor de Cristo, um conselho que eu dava aos meus jovens amigos: esperar é difícil, mas é mais fácil esperar do que consertar. Amém?

segunda-feira, 27 de março de 2017

Desapega: não espere demais da sua igreja

Desapega
Desapego é uma palavra que está na moda. Mas, e na nossa vida denominacional, ou seja, dentro do lugar onde nós servimos a Deus, o desapego tem lugar ou não? Este é um tema delicado, mas o que nós vamos defender aqui não é que você não dê valor ao ministério onde Deus colocou você, e sim que você não espere demais dos seus irmãos na fé...

Existe uma gigantesca multidão de pessoas que deixaram as suas igrejas por mágoa, decepção ou raiva de irmãos na fé, pastores, cooperadores, presbíteros e assim por diante. E, de fato, muitas destas pessoas tem realmente motivo para estar chateadas. O complicado é que sair de uma denominação por problemas pessoais dá a entender que a pessoa possuía uma confiança exagerada no homem, não esperando ser frustrada em suas expectativas. Então, quando alguém lá dentro disse ou fez o que não deveria, a pessoa não suportou o golpe e foi embora.

Por este e por vários outros motivos é que eu aconselho a "filosofia do desapego evangélico" (risos), que se resume basicamente nesta máxima: esteja na sua igreja como se não fizesse parte dela! Explico: dê bom testemunho do Evangelho, siga os costumes locais, procure ter paz com todos, respeite os seus líderes religiosos, tenha prazer em todas as atividades da igreja que você porventura faça, ENTRETANTO, não espere nada dos seus irmãos, tampouco dos seus dirigentes. Em outras palavras, não deixe a sua vida espiritual depender da sua vida denominacional.

Construa sua vida espiritual sobre a Rocha que é Cristo, não sobre as areias da denominação.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Não faça da sua boca uma fábrica de maldições

Não faça da sua boca uma fábrica de maldições
O título pode até parecer estranho, mas na verdade nós muitas vezes usamos os nossos lábios para amaldiçoar pessoas e transformar acontecimentos que deveriam ser bênçãos na nossa vida em maldições. Quando oramos pedindo que Deus castigue alguém, xingamos nossos filhos ou somos ansiosos demais pela nossa vida, saibamos que estamos produzindo maldições.

Quantas vezes você já foi injustiçado, ou prejudicado de outra forma, e se sentiu tentado a orar pedindo o mal daqueles que agiram errado com você? Todavia, compreenda que orar dessa forma é como ir num terreiro e pedir para fazerem um despacho. Deus não ouve orações desse tipo. Portanto, se você for ouvido e atendido, será por outra parte, não da de Deus...

Também é comum no dia a dia com a família pronunciarmos palavras duras contra nossos filhos, cônjuges e outros entes queridos, devido às pressões da vida, aos problemas financeiros etc. Entretanto, fazendo isso nós amaldiçoamos àqueles a quem mais amamos, tornando-nos nós mesmos seus piores inimigos. Já ouviu falar no ditado que diz que "praga de mãe pega"? Pois é...

Além disso, quando estamos esperando muito para receber uma certa importância, ou uma promoção no trabalho ou ainda um cargo na igreja e falamos incessantemente sobre o assunto, fazendo mil e um planos antecipadamente, como resultado de nossa ansiedade criamos problemas e até brigamos por causa de coisas que nem chegaram a acontecer ainda. Quando de fato recebemos o que desejávamos, aquilo já não nos dá toda a alegria que poderia ter nos dado.

Enfim, não usemos nossos lábios para proferir maldições contra os que nos fazem mal, tampouco contra as pessoas que amamos. Paguemos o mal com o bem e não tornemos o bem em mal contra nós mesmos.

terça-feira, 21 de março de 2017

A sublime vocação do homem e da mulher

A sublime vocação do homem e da mulher
Não há nada mais belo no mundo do que uma mulher que ama o seu marido, tem zelo pelos seus filhos e põe o ombro debaixo da cruz para ajudar seu esposo nas dificuldades, assim como nada há de mais admirável do que um homem que renega seus próprios interesses em prol de sua família e elege uma única mulher para ser sua companheira pelo resto da sua vida.

De fato, esta é a mais sublime vocação que um homem e uma mulher podem abraçar nesta terra: o casamento e a família. Uma mulher virtuosa é, como a Bíblia diz, mais valiosa que rubis, pois é rara e extremamente cobiçada. Ela se sacrifica pelos filhos, busca compreender seu marido e ser sua ajudadora, sem se esquecer de respeitá-lo como o cabeça da família, à semelhança do que é Cristo em relação à sua Noiva Amada, a Igreja.

Já o homem honrado abre mão dos seus melhores sonhos para realizar os sonhos dos seus entes queridos. Rejeita as ofertas das mulheres fúteis por respeito à esposa digna que possui em seu lar e é o líder da Igreja que está em sua casa, sem, contudo, ser um tirano; é provedor, sem, todavia, considerar que por fazer isso excede em um mínimo que seja as suas obrigações.

Pode, na verdade, o ser humano se entregar a mil experiências prazerosas e ultrapassar todos os limites morais em busca de sua satisfação pessoal. Entretanto, nada jamais se igualará ao projeto de Deus para a humanidade: o casamento e a família, a sublime vocação do homem e da mulher.