terça-feira, 18 de abril de 2017

A submissão consciente aos usos e costumes

No tocante aos usos e costumes, uma parte que incomoda tanto a homens quanto a mulheres é a questão das roupas. Por isso, vamos nos deter hoje sobre este particular. Precisamos, antes de tudo, entender com muita clareza duas coisas: 1) roupas não salvam ninguém; não fazem parte da doutrina, e sim dos usos e costumes estabelecidos; 2) todavia, se você considera tão importante assim fazer parte de uma certa denominação, então sujeite-se às suas normas internas.

Todos sabemos que não existe base bíblica alguma para homens usarem apenas calças e mulheres somente saias ou vestidos, por exemplo. Contudo, a origem de tais costumes geralmente remonta à época de fundação das igrejas que adotam estas práticas. Por exemplo, a Congregação Cristã no Brasil (CCB) e a Assembléia de Deus são denominações centenárias, instaladas nesta nação numa época em que os homens usavam roupas sociais e as mulheres vestes compridas. Logo, não deveria causar nenhuma estranheza que tenha se enraizado no seio de tais denominações o hábito de se utilizar aquelas roupas, até porque elas satisfazem aos quesitos modéstia, decência e discrição (1 Timóteo 2:9 NVI). Dadas as peculiaridades do meio pentecostal, entretanto, estas tradições dificilmente são atualizadas...

O que nós precisamos ter em mente é que tanto não é pecado uma igreja possuir seus próprios usos e costumes, quanto não é pecado um membro não gostar destes usos e costumes. Roupas não afetam a salvação, nem para bem, nem para mal; nem salvam você, nem o condenam. Porém, se você realmente acha que não consegue estar dentro de uma igreja porque ela lhe constrange a utilizar determinadas roupas, então procure uma na qual você esteja mais à vontade, só não viva brigando por tão pouca coisa. Apenas considere se a troca é válida, pois, de que adianta você frequentar uma igreja que deixa você se vestir como você bem entende, se lá não tiver o ensino da Palavra e você não sentir a presença de Deus na sua vida?

Enfim, se você decidir se sujeitar aos usos e costumes de uma determinada denominação, faça isto de olhos abertos, isto é, conscientemente: você sabe que está obedecendo ao regulamento interno de uma igreja, e não a um mandamento do Evangelho. Já se você escolher não fazer isto, não proceda de maneira rebelde: procure um lugar onde você se sinta melhor para servir a Deus. Somente não se esqueça destas três palavrinhas: modéstia, decência e discrição.