segunda-feira, 8 de maio de 2017

Você será um idoso odioso?

É muito triste conhecer alguém que se preparou a vida inteira para inspirar repulsa nos outros, ao invés de amor. Perceber que durante toda a existência um ser humano plantou coisas como ódio, inveja, orgulho, avareza, egoísmo, e então, na velhice, chegou o tempo da sua amarga colheita. É lamentável ver uma vida repleta de oportunidades perdidas: na chance de ser uma boa mãe, a ausência; na possibilidade de ser um bom pai, os abusos; na oportunidade de fazer o bem, a maldade; na chance de ser fiel, a traição, e assim por diante.

A velhice é a "noite" da vida, a época em que os dias oportunos já se foram. Pobres daqueles que vivem o dia de hoje sem se importarem com o futuro! Dando pouco valor aos filhos, sendo hipócritas ao invés de verdadeiros, pensando apenas em si mesmos. A hora vem em que os estranhos estarão no lugar dos entes queridos e o dinheiro só servirá para pagar os remédios.

Verdadeiramente dignos de pena são aqueles que não se preparam para o fim da vida, que não procuram se tornar pessoas capazes de suscitar amor nos seus enquanto é tempo. Miseráveis os que procuram lugar de arrependimento para com Deus e não o acham mais. O mau e o perverso estarão sozinhos na velhice, e o ímpio e o iníquo colherão o desprezo.

Por outro lado, bem-aventurados os justos, que semeiam afeto, carinho e atenção aos filhos. Que se sacrificam pelos seus. Que servem a Deus com sinceridade. Felizes os que semeiam suficiente amor durante toda a vida para o poderem colher na velhice.