terça-feira, 6 de junho de 2017

Não tente mudar "o mundo" (os outros)

Todas as tentativas humanas de "mudar o mundo" sempre estarão fadadas ao fracasso porque todas elas focam em tentar mudar os outros, nunca os próprios indivíduos que as propõem. Neste sentido, a idéia de "mudar o mundo" possui um caráter denuncista e acusatório: alguém, em algum lugar está errado, precisando mudar alguma coisa em si, menos eu.

O Evangelho, por outro lado, não aprova que uma pessoa tente "mudar o mundo" colocando-se numa posição de juíza dos seus irmãos. Pelo contrário, a ênfase está sempre no indivíduo: "ama ao teu próximo como a ti mesmo", "se o teu irmão te ofender perdoa", "pague o mal com o bem" etc. Jamais o Evangelho recomenda ao seu praticante dizer aos outros como agir, e sim como ele mesmo deve viver para servir de exemplo aos demais e, assim sendo, melhorar o mundo ao seu redor.

Os mundos que o Evangelho muda são alterados de dentro para fora, e não de fora para dentro, com alguém apontando o dedo para o erro alheio a fim de consertá-lo. Se eu me torno uma pessoa melhor, automaticamente o meu mundo-família se torna melhor, o meu mundo-trabalho melhora, o meu mundo-igreja se torna mais santo e assim por diante.

Portanto, quando você vir alguém querendo "mudar o mundo" ou "fazer do mundo um lugar melhor", desconfie. O Evangelho de Cristo só nos autoriza a mudar o mundo a partir de cada um de nós mesmos, em hipótese alguma a partir dos outros...